Diversidade da macrofauna edáfica em diferentes usos da terra em Pinheiral, RJ

  • André Barbosa Vargas Docente Centro Universitário de Volta Redonda, UniFOA, Três Poços
  • Daniela Augusto Chaves Docente Instituto Federal Tecnológico do Rio de Janeiro, IFRJ, CANP – Pinheiral.
  • Guilherme Alves do Val
  • Caio Gomes Souza Discente Técnico em Agropecuária, Instituto Federal Tecnológico do Rio de Janeiro, IFRJ, CANP – Pinheiral
  • Richard Máximo Farias Discente Ensino Médio, CIEP 291 Dom Martinho Schlude, Pinheiral, RJ
  • Cassiane Cardozo Discente Ensino Médio, CIEP 291 Dom Martinho Schlude, Pinheiral, RJ
  • Carlos Eduardo Gabiel Menezes Docente Instituto Federal Tecnológico do Rio de Janeiro, IFRJ, CANP – Pinheiral

Resumo

O uso da terra, na maioria das vezes, altera consideravelmente a composição e riqueza da fauna edáfica, alterando a cobertura florestal existente. Deste modo, funções ecológicas e biológicas desenvolvidas por estes organismos são afetadas e/ou perdidas. Portanto, os objetivos foram avaliar a biodiversidade de artrópodes em quatro ambientes distintos, no campus do IFRJ, em Pinheral, RJ. Foram instaladas 12 armadilhas no solo do tipo “pitfall” em cada ambiente, espaçadas 10m uma da outra. Foram amostrados 19 grupos de artópodes, sendo 18 ordens e uma família (Formicidae), a qual apresentou 100% de ocorrência em todos os ambientes e períodos de coleta. No período chuvoso foram coletadas 16 ordens e no período seco 14. No período chuvoso o Plantio de eucalipto apresentou maior número de ordens (14), seguido de Pasto (9), Cultivo de goiaba (8) e Reflorestamento com (6). No período seco se observou um resultado contrário com o ambiente de Reflorestamento apresentando 13 ordens, seguido de Cultivo de goiaba (11), Plantio de eucalipto (8) e Pasto com (6). Entretanto, estas variações não foram significativas entre os ambientes e entre os períodos de coleta. Os índices de diversidade não apresentaram diferenças significativas entre os ambientes, mas sim para os períodos de coleta. A ordenação mostrou agrupamentos dos blocos, separando os ambientes. Portanto, a biodiversidade de artrópodes apresenta diversidade distinta para os ambientes, demonstrando a importância da heterogeneidade ambiental na manutenção da biodiversidade e das funções ecológicas prestadas pelos organismos. Os resultados também reforçam a utilização da macrofauna edáfica em avaliações e estudos ambientais como indicadora de biodiversidade e da qualidade ambiental. 

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
Biólogo graduado em Licenciatura Plena pelo Centro Universitário de Barra Mansa (2002), Mestre em Biologia Animal (2006) e Doutor em Ciências Ambientais e Florestais (2011) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Foi docente no ensino fundamental e médio, ministrando aulas de Ciências, Física, Química e Biologia. Com experiência em entomologia organiza cursos de curta duração, abordando temas como Ecologia, Entomologia e Mirmecologia. Atua como consultor técnico em estudos de biodiversidade da fauna de formigas e de impactos ambientais. Atualmente, é professor no Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA, desenvolvendo estudos sobre ecologia de comunidades de formigas.
##submission.authorWithAffiliation##
Possui graduação em AGRONOMIA pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2000). , mestre em Ciências - Ciências do Solo pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2010). Doutoranda em Ciência, Tecnologia e Inovação Agropecuária. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - Campus Nilo Peçanha/Pinheiral.
Guilherme Alves do Val
Graduação em andamento em Zootecnia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), possui formação em Técnico em Agropecuária pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro - Campus Nilo Peçanha/Pinheiral (2012).
##submission.authorWithAffiliation##
Discente Técnico em Agropecuária, Instituto Federal Tecnológico do Rio de Janeiro, IFRJ, CANP – Pinheiral
##submission.authorWithAffiliation##
Possui graduação em Licenciatura em Ciências Agrícolas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Agronomia (Ciências do Solo) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1999) e doutorado em Agronomia - Ciência do Solo (Conceito CAPES 6) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2008). Foi dir. extensão, pesquisa, pós-grad. e inovação e atualmente é Diretor Geral do Campus Nilo Peçanha - Pinheiral do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Conservação do Solo.

Referências

AQUINO, A.M. de; CORREIA, M.E.F.; ALVES, M.V. 2008a. Diversidade da macrofauna edáfica no Brasil. In: MOREIRA, F.M.S.; SIQUEIRA, J.O.; BRUSSAARD, L. (Ed.). Biodiversidade do solo em ecossistemas brasileiros. Lavras: UFLA, p.143-170.

AQUINO, A.M. de; SILVA, R.F. da; MERCANTE, F.M.; CORREIA, M.E.F.; GUIMARÃES, M. de F.; LAVELLE, P. 2008b. Invertebrate soil macrofauna under different ground cover plants in the no-till system in the Cerrado. European Journal of Soil Biology, v.44, p.191-197.

CORDEIRO, F. C.; DIAS, F. C., MERLIM, A. O., CORREIA, M. E. F., AQUINO, A. M., BROWN, G. 2004 Diversidade da macrofauna invertebrada do solo como . indicadora da qualidade do solo em sistema de manejo orgânico de produção.. Revista Universidade Rural. Série Ciências da Vida (Cessou em 2007. Cont. ISSN 1983-4772 Revista de Ciências da Vida), Seropédica, v. 24, n.2, p. 29-34.

DEAN, W. 1996. A Ferro e Fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 484p.

HAMMER, Q.; HARPER, D. A. T.; RYAN, P. D. PAST: Paleontological Statistics Software Package for Education and Data Analysis. Palaeontologia Electronica, v. 4, n. 1, p. 0-9. http://palaeo-electronica.org/2001_1/past/issue1_01.htm, 2001.

HÖLLDOBLER, B.; WILSON, E. O. 1990. The Ants. Harvard University Press, Cambridge, 732p.

LAVELLE, P.; DANGERFIELD, M.; FRAGOSO, C.; ESCHENBRENNER,V.; LOPEZHERNANDEZ, D.; PASHANASI, B.; BRUSSARD, L. 1994. The relationship between soil macrofauna and tropical soil fertility. In: WOOMER, P.L.; SWIFT, M.J., eds. The Biological Management of Tropical Soil Fertility. New York: Wiley-Sayce
Publication, p.137-169.

LIMA, S. S. AQUINO, A. M., LEITE, L. F. C., VELASQUEZ, E. ; LAVELLE, P. 2010. Relação entre macrofauna edáfica e atributos químicos do solo, em diferentes agroecossistemas. Pesquisa Agropecuária Brasileira (1977. Impressa), v. 45, p. 322-331.

MAJER, J.D., BRENNAN K.E.C. & MOIR, M.L. 2007. Invertebrates and the Restoration of a Forest Ecosystem: 30 Years of Research following Bauxite Mining in Western Australia. Restor. Ecol. 15:104-115.

MENEZES, C. E. G., CORREIA, M.E.F., PEREIRA, M. G., BATISTA, I., RODRIGUES, K. M., COUTO, W. H., ANJOS, L. H. C., OLIVEIRA, I.P. 2009. Macrofauna edáfica em estádios sucessionais de Floresta Estacional Semidecidual e pastagem mista em Pinheiral (RJ): Rio de Janeiro State.. Revista Brasileira de Ciência do Solo (Impresso), v. 33, p. 1647-1656.

MERLIM, A. O.; GUERRA, J.G.M.; JUNQUEIRA, R.M.; AQUINO, A.M. 2005. Soil macrofauna in cover crops of figs grown under organic management. Scientia Agricola, v.62, p.57-61.

MOÇO, M.K.; GAMA-RODRIGUES, E.F.; GAMARODRIGUES, A.C.; CORREIA, M.E.F. 2005. Caracterização da fauna edáfica em diferentes coberturas vegetais na região norte fluminense.Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.29, p.555-564.

SANTOS, G. G., SILVEIRA, P. M; MARCHÃO, R., BECQUER, T.; BALBINO, L. C. 2008. Macrofauna edáfica associada a plantas de cobertura em plantio direto em um Latossolo Vermelho do Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira (1977. Impressa), v. 43, p. 115-122.

SILVA, R.F.; TOMAZI, M.; PEZARICO, C.R.; AQUINO, A.M.; MERCANTE, F.M. 2007. Macrofauna invertebrada edáfica em cultivo de mandioca sob sistemas de cobertura do solo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, p.865-871.

UEHARA-PRADO, M.; FERNANDES, J. O.; BELLO, A. M.; MACHADO, G.; SANTOS, A. J.; VAZ-DE-MELLO, F. Z.; LUCCI-FREITAS, A. V. 2009. Selecting terrestrial arthropods as indicators of small-scale disturbance: A first approach in the Brazilian Atlantic Forest. Biological Conservation, v. 142, p. 1220–1228.

VELÁSQUEZ, E.; LAVELLE, P.; ANDRADE, M. GISQ. 2007. A multifunctional indicator of soil quality. Soil Biology and Biochemistry, v.39, p.3066-3080.

WINK, C; GUEDES, J.V.C.; FAGUNDES, C.K.; ROVEDDER, A.P. 2005. Insetos edáficos como indicadores da qualidade ambiental. Revista de Ciências Agroveterinárias, Lages, v.4, n.1, p. 60-71.
Publicado
2013-12-09
Como Citar
VARGAS, André Barbosa et al. Diversidade da macrofauna edáfica em diferentes usos da terra em Pinheiral, RJ. Acta Scientiae et Technicae, [S.l.], v. 1, n. 2, dez. 2013. ISSN 2317-8957. Disponível em: <http://www.uezo.rj.gov.br/ojs/index.php/ast/article/view/41>. Acesso em: 29 set. 2022. doi: https://doi.org/10.17648/uezo-ast-v1i2.41.
Seção
Artigos