TIPOS POLÍNICOS COLETADOS POR Tetragonisca angustula (LATREILLE, 1811) EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

  • Filipe Torres Universidade Federal do Espírito Santo
  • Cristiana Torres Leite Universidade Federal do Espírito Santo
  • Luceli de Souza Universidade Federal do Espírito Santo
  • Tatiana Tavares Carrijo Universidade Federal do Espírito Santo

Resumo

A identificação da dieta de abelhas é fundamental para o conhecimento da biologia e da ecologia destes insetos. Aqui apresentamos a identificação dos tipos polínicos coletados por Tetragonisca angustula em um fragmento de Floresta Atlântica no Espírito Santo. As amostras de pólen foram coletadas durante 12 meses no Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça (PECF). Os indivíduos estudados foram capturados com rede entomológica e as pelotas de pólen foram removidas de suas corbículas. Para identificação dos tipos polínicos, os grãos de pólen foram acetolisados, montados em lâminas e analisados em microscopia de luz (ML). Foram identificados 32 tipos polínicos pertencentes a 16 famílias de angiospermas. Fabaceae e Myrtaceae apresentaram a maior riqueza de tipos polínicos, com cinco tipos cada. A maior diversidade de tipos polínicos foi encontrada nos meses de setembro e outubro. A diversidade de famílias botânicas visitadas por T. angustula confirma o hábito generalista desta espécie e permite verificar que o PECF é um importante refúgio para esta espécie de abelha nativa.

 

 

 

Referências

AIDAR, D. S.; CAMPOS, L. A. O. 1998. Manejo e manipulação artificial de colônias de Melipona quadrifasciata Lep. (Apidae: Meliponinae). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, p.157-159.

ALMEIDA-BRAGA, J.; SALES, E. O.; SOARES NETO, J.; CONDE, M. M.; BARTH, O. M.; LORENZON, M. C. 2012 Floral sources to Tetragonisca angustula (Hymenoptera: Apidae) and their pollen morphology in a Southeastern Brazilian Atlantic Forest. Revista Biologia Tropical, v.60, n.4, p.1491-1501.

ALVES, R. M. O., CARVALHO, C. A. L., SOUZA, B. A. 2006. Espectro polínico de amostras de mel de Melipona mandacaia Smith, 1863 (Hymenoptera: Apidae). Acta Scientiarum Biological Sciences. Maringá, v. 28, n. 1, p.65-70.

BANCO DE IMAGENS DE PÓLENS DE PLANTAS APÍCOLAS DO LABORATÓRIO DE INSETOS ÚTEIS. 2012. Entomologia, ESALQ-USP. Disponível em: < http://www.lea.esalq.usp.br/polen/>. Acesso em: 13 ago. 2012.

BAWA, K. 1990. Plant-pollinator interactions in tropical rain forests. Annual Review of Ecology and Systematics, v. 21, p. 399-422.

BRAGA, J. A.; SOARES-NETO, J.; SALES, E. DE O.; CONDE, M. DE M. S.; BARTH, O. M.; LORENZON, M. C. A. 2009. Plantas de destaque na dieta de Tetragonisca angustula (Hymenoptera: Meliponina) em diferentes fragmentos de Mata Atlântica. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 4, n.2.

CARVALHO, C. A. L.; MARCHINI, L. C. 1999. Tipos polínicos coletados por Nannotrigona testaceicornis e Tetragonisca angustula (Hymenoptera, Apidae, Meliponinae). Scientia Agricola, v. 56, p. 717-722.

CARVALHO, C. A. L.; MARCHINI, L. C.; ROS, P. B. 1999. Fontes de pólen utilizadas por Apis mellifera L. e algumas espécies de Trigonini (Apidae) em Piracicaba (SP). Bragantia, v.58, n.1, p.49-56.

DEL-CLARO, K. TOREZAN-SILINGARDI, H. M. 2012. Ecologia das Interações Plantas-Animais: uma abordagem ecológico evolutiva. Rio de Janeiro, Technical Books, p. 333.

ERDTMAN, G. 1952. Pollen morphology and plant taxonomy - Angiosperms. Almqvisit & Wikesel, Stockholm 539 p.

GUIMARÃES, R. A. 2006. Abelhas ( Hymenoptera: Apoidea) visitantes das flores de goiaba (Psidium guajava L.), laranja (Citrus sinensis L.) e tangerina (Citrus reticulata B.) em pomares comerciais em Salinas - MG. Dissertação Mestrado. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia.

GRUCHOWSKI-W F. C.; IANTAS, J.; MACIEL, L.; HOLDEFER, D. R. 2010. Inventário da fauna de abelhas (Hymenoptera: Apoidea) com a utilização de armadilha atrativa e interceptadora de voo em flora típica sul paranaense. Biodiversidade Pampeana, PUCRS, Uruguaiana, 8 (1): 25-31. Disponível em: Acesso em: 04 nov. 2014.

GRÜTER, C.; KÄRCHER, M.H.; RATNIEKS. 2011. The natural history of nest defence in a stingless bee, Tetragonisca angustula (Latreille) (Hymenoptera: Apidae), with two distinct types of entrance guards. Neotropical Entomology, v.40, n.1, p.55-61.

IDAF (Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo). 2001. Plano de manejo do Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça: versão resumida. Vitória: IDAF. p. 43.

IMPERATRIZ-FONSECA, V. L.; KLEINERT-GIOVANNINI, A.; CORTOPASSI-LAURINO, M.; RAMALHO, M. 1984. Hábitos de coleta de Tetragonisca angustula Latreille (Hymenoptera, Apidae, Meliponinae). Boletim de Zoologia da Universidade de São Paulo, v. 8, p. 115-131.

IWAMA, S.; MELHEM, T. S. 1979. The pollen spectrum of the honey of Tetragonisca angustula Latreille (Apidae, Meliponinae). Apidologie, v. 10, n. 3, p. 275-295.

KERR, W. E. 1997. A importância da meliponicultura para o país. Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento, v. 1, n.3, p.42-44.

KERR, W. E.; CARVALHO, G. A.; SILVA, A. C.; ASSIS, M. G. P. 2001. Aspectos pouco mencionados da biodiversidade amazônica. Parcerias Estratégicas, nº 12. Brasília, Ministério da Ciência e Tecnologia Centro de Estudos Estratégicos.

KLEINERT, A. M. P., RAMALHO, M., LAURINO, M. C., RIBEIRO, M. F., FONSECA, V. L. I. 2009. Abelhas sociais (Bombini, Apini, Meliponini) In: Bioecologia e nutrição de insetos: base para o manejo integrado de pragas. Cap. 10. Disponível em: < //200.144.189.76/bioabelha/images/pdfs/projeto1/2009_kleinheart_et_all.pdf> Acesso em: 27 mar. 2011.

KRAUS, J. E.; ARDUIN, M. 1997. Manual básico de métodos em morfologia vegetal. Seropédica, EDUR, p. 198.

KREMEN, C.; WILLIAMS, N. M.; THORP, R. W. 2002. Crop pollination from native bees at risk from agricultural intensification. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 99, p. 16 812–16 816.

LABOURIAU, M. L. S. 1973. Contribuição à palinologia dos cerrados. Academia Brasileira de Ciências, p. 291.

LAURINO, M. C. 2014. A abelha jataí, uma espécie bandeira Tetragonisca angustula, em Meliponicultura. In: Associação Paulista de Apicultores Criadores de Abelhas Melificas Européias (APACAME). São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2014.

LISTA DE ESPÉCIES DA FLORA DO BRASIL. 2014. Jardim Botânico do Rio De Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 14 Novembro 2014.

LOPES, M.; FERREIRA, J. B.; SANTOS, G. 2005. Abelhas sem-ferrão: a biodiversidade invisível. Agriculturas, v. 2, p.7-9.

MALERBO-SOUZA, D. T., TOLEDO, V. A. A.; PINTO, A. S. 2008. Ecologia da Polinização. Piracicaba: CP2.

MELHEM, T. S.; CRUZ-BARROS, M. A. V.; CORRÊA, A. M. S.; MAKINO-WATANABE, H., SILVESTRE-CAPELATO, M. S. F.; ESTEVES, V. L. G. 2003. Variabilidade polínica em plantas de Campos do Jordão (São Paulo, Brasil). Boletim do Instituto de Botânica, v. 16, p. 1-104.

MMA (Ministério do Meio Ambiente). 2006. Bibliografia brasileira de polinização e polinizadores. Secretaria de Biodiversidade e Floresta. Brasília: MMA, 250 p.

MORGADO, L. N.; ANDRADE, R. C.; LORENZON, M. C. A.; GONÇALVES-ESTEVES, V. 2011. Padrão polínico utilizado por Tetragonisca angustula Latreille (Apidae: Meliponina). Nota científica. Acta Botanica Brasilica, v.25, n.4, p. 932-934.

PEDRO, S. R. M. 2014. The Stingless Bee Fauna in Brazil (Hymenoptera: Apidae). Sociobiology, v. 61, n.4, p. 348-354.

PIRANI, J. R.; CORTOPASSI-LAURINO, M. 1994. Flores e Abelhas em São Paulo. São Paulo, EDUSP/FAPESP. 192 p..

RICKETTS, H. T. 2004. Tropical forest fragments enhance pollinators activity in nearby coffee crops. Conservation Biology, v. 18, n.5, p. 1262-1271.

ROUBIK, D.; MORENO, J. E. P. 1991. Pollen and spores of Barro Colorado Island. Monographs in Systematic Botany, v. 36, p.1-268.

SANTANA, B. F.; FUNCH, L. S. 2011. Fenologia de espécies de Poaceae encontradas na Mata Ciliar do Rio Lençóis e em Campo Rupestre, no município de Lençóis, Chapada Diamantina, Bahia. Universidade Estadual de Feira de Santana.

SANTOS, A. B. 2010. Abelhas nativas: polinizadores em declínio. Natureza on line, v. 8, n. 3, p.103-106.

SILVA, W. P.; PAZ, J. R. L. 2012. Abelhas sem ferrão: muito mais do que uma importância econômica. Natureza on line, v. 10, n. 3, p. 146-152.

SILVEIRA, F. A.; MELO, G. A. R.; ALMEIDA, E. A. B. 2002. Abelhas brasileiras: sistemática e identificação. Belo Horizonte, Fundação Araucária, 253 p.

TOLEDO, K. 2014. Benefício mútuo: Ganho de produtividade com polinização por abelhas representa 10% do valor da produção agrícola mundial. Pesquisa FAPESP 218. p. 70-73.

WERNECK, H. A.; FARIA-MUCCI, G. M. 2014. Abelhas sem Ferrão (Hymenoptera: Apidae, Meliponini) da Estação Ecológica de Água Limpa, CataguasesMG, Brasil. EntomoBrasilis, v. 7, n. 2, p. 164-166.
Publicado
2015-06-05
Como Citar
TORRES, Filipe et al. TIPOS POLÍNICOS COLETADOS POR Tetragonisca angustula (LATREILLE, 1811) EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO. Acta Scientiae et Technicae, [S.l.], v. 3, n. 1, jun. 2015. ISSN 2317-8957. Disponível em: <http://www.uezo.rj.gov.br/ojs/index.php/ast/article/view/80>. Acesso em: 24 abr. 2018. doi: https://doi.org/10.17648/uezo-ast-v3i1.80.
Seção
Artigos