INFLUÊNCIA DA MATÉRIA ORGÂNICA NA BIODEGRADAÇÃO DO ÁCIDO 2,4-DICLOROFENOXIACÉTICO (2,4-D)

  • Ida Carolina Neves Direito Programa de Pós-graduação em Biotecnologia Vegetal/ Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Laboratório de Biotecnologia Ambiental, Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO)
  • Barbara Alvarenga Peckle Programa de Pós-graduação em Biotecnologia Vegetal/ Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Laboratório de Biotecnologia Ambiental, Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO); Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Leda Cristina Santana Mendonça-Hagler Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Andrew Macrae Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Resumo

O herbicida ácido 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D) é um dos mais utilizados no mundo e pode causar prejuízos ao meio ambiente e à saúde humana. Os microrganismos do solo tem importante função na degradação de compostos químicos como os pesticidas. A matéria orgânica, como adubos orgânicos e metabólitos secundários vegetais, podem estimular os microrganismos do solo. Dentre os metabólitos secundários vegetais, existem os flavonóides. O processo de degradação de flavonóides pode resultar no ácido protocatecóico, o qual é um intermediário na rota de degradação de pesticidas aromáticos, como o 2,4-D.  Este estudo investigou a influência da matéria orgânica na biodegradação do 2,4-D. Em um primeiro momento, analizamos a capacidade de crescimento de isolados bacterianos, que podem utilizar 2,4-D como única fonte de carbono, na presença de biopirol, quercetina e rutina. Em seguida, verificamos a influência destas moléculas orgânicas sobre a comunidade microbiana do solo com histórico de aplicação do 2,4-D. Os resultados mostraram que os isolados bacterianos são capazes de utilizar pelo menos um dos modelos de matéria orgânica empregados. Os resultados gerados no experimento conduzido para verificar a influencia da matéria orgânica sobre a comunidade microbiana e a degradação do 2,4-D sugere que a associação do 2,4-D com a matéria orgânica poderia ampliar a persistência deste no ambiente, ou poderia representar um estádio de adaptação dos microrganismos do solo. Nossos resultados sugerem que o efeito de resíduos orgânicos na biodegradação do 2,4-D tem potencial biotecnológico.

Publicado
2015-07-05
Como Citar
NEVES DIREITO, Ida Carolina et al. INFLUÊNCIA DA MATÉRIA ORGÂNICA NA BIODEGRADAÇÃO DO ÁCIDO 2,4-DICLOROFENOXIACÉTICO (2,4-D). Acta Scientiae et Technicae, [S.l.], v. 3, n. 1, jul. 2015. ISSN 2317-8957. Disponível em: <http://www.uezo.rj.gov.br/ojs/index.php/ast/article/view/76>. Acesso em: 03 jul. 2022. doi: https://doi.org/10.17648/uezo-ast-v3i1.76.
Seção
Artigos