Diagnóstico e monitoramento ambiental de uma população do caracol africano [Achatina fulica (bowdich, 1822)] em Santo Antônio de Pádua/RJ

  • Marcelo Nocelle de Almeida

Resumo

O caracol africano foi introduzido no Brasil, no estado do Paraná na década de 1980. Normalmente, essa espécie ocorre em altos índices populacionais em áreas urbanas no Brasil, e isso pode causar transtornos à população e danos ao ambiente. Desta forma, o presente estudo teve como objetivo diagnosticar a ocorrência do caramujo africano em Santo Antônio de Pádua/RJ. Foi utilizada a metodologia de captura, marcação e recaptura para diagnosticar a densidade populacional, a distribuição horizontal e vertical da população. Os resultados demonstraram que a densidade populacional foi baixa, influenciada, principalmente, pelas condições climáticas da região. A distribuição horizontal no solo foi mais frequente quando comparada com a distribuição vertical na vegetação e superfícies antrópicas. O método de marcação da concha com esmalte de unha atóxico foi eficiente para o monitoramento da população em estudo. Os dados obtidos indicam que as estratégias de monitoramento e controle do caracol africano devem levar em consideração coletas periódicas, principalmente na estação chuvosa, e que refúgios no solo devem ter prioridade em termos de procura ativa. Atenção maior deve ser dada aos indivíduos menores, filhotes e jovens, uma vez que esses tamanhos são mais frequentemente encontrados enterrados no solo.

Publicado
2018-12-06
Como Citar
ALMEIDA, Marcelo Nocelle de. Diagnóstico e monitoramento ambiental de uma população do caracol africano [Achatina fulica (bowdich, 1822)] em Santo Antônio de Pádua/RJ. Acta Scientiae et Technicae, [S.l.], v. 6, n. 2, dez. 2018. ISSN 2317-8957. Disponível em: <http://www.uezo.rj.gov.br/ojs/index.php/ast/article/view/234>. Acesso em: 23 set. 2019. doi: https://doi.org/10.17648/uezo-ast-v6i2.234.
Seção
Artigos