Governo do Estado


UEZO participa da inauguração do Navio Oceanográfico da UERJ.

Por Reitoria
05/02/2020 15h00



Foto

Reitora da UEZO, Maria Cristina de Assis esteve presente ao evento que contou com a presença do governador Wilson Witzel, que mencionou publicamente o esforço para que a UEZO tenha seu Campus em 2020.



O primeiro navio oceanográfico universitário do Estado do Rio de Janeiro foi inaugurado nesta terça-feira (28), na Marina da Glória, Zona Sul do Rio. A embarcação, batizada de Professor Luiz Carlos, é da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e será o celeiro para alavancar pesquisas e projetos ambientais, como o monitoramento de ecossistemas marinhos, além de contribuir para o aperfeiçoamento da formação de estudantes. Sua estrutura conta com 30,5 metros de comprimento e 7,8 metros de largura, além de ter capacidade para navegar com 30 pessoas e autonomia para permanecer no mar por até 15 dias.



“Há seis anos esse projeto já existia, mas nunca saiu do papel. Quando tive conhecimento da ideia, busquei apoio em âmbito federal e estadual para a conclusão da embarcação. Esse barco representa a reestruturação da ciência no Estado do Rio de Janeiro. Muita gente fala de tecnologia e inovação, mas ambas não vêm antes da ciência. Nós temos que respeitar a pesquisa e esse governo vem respeitando. Ganha a UERJ, a pesquisa científica, os projetos ambientais e toda a sociedade fluminense com essa embarcação”, pontuou o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues.



Durante a solenidade de inauguração, o governador Wilson Witzel, falou sobre mais recursos para a pesquisa e inovação em 2020. “Além dos R$ 300 milhões investidos no ano passado, esse ano teremos mais R$ 250 milhões, totalizando R$ 550 milhões em investimentos nessas áreas”, disse o governador. Além dele, estiveram presentes no evento o secretário da pasta de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Rodrigues, o reitor da UERJ, Ricardo Lodi, a reitora da UEZO, Maria Cristina de Assis, além de outras autoridades e pesquisadores.




Compartilhe


Comentários via Facebook